Parábola da Rede

Igualmente o reino dos céus é semelhante a uma rede lançada ao mar, e que apanha toda a qualidade de peixes.

E, estando cheia, a puxam para a praia; e, assentando-se, apanham para os cestos os bons; os ruins, porém, lançam fora.

Assim será na consumação dos séculos: virão os anjos, e separarão os maus de entre os justos,

E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes. Mateus 13:47-50

Entre os discípulos de Jesus haviam pescadores de profissão, mesmo os que não eram pescadores já estavam familiarizados com a pratica descrita por Jesus nesta parábola.

Geralmente os pescadores mais experientes procuraram as condições perfeitas, inclusive com a identificação de bons cardumes, antes de começar a pescaria. Porém, uma vez lançada a rede, várias espécies e tipos de peixes eram pescados, e, obviamente, vinham todos misturados, onde eram levados para a praia para que houvesse uma seleção.

A seleção ocorrerá: da mesma forma com que a rede é lançada, peixes variados são apanhados até que, num determinado momento ocorre a seleção, também o Evangelho da Salvação é ofertado e está constantemente pescando os homens (Lc 5:10), porém nem todos aqueles que entram nessa “rede”, ou seja, nem todos os que entram visivelmente no Reino e pertencem a igreja visível, são verdadeiramente salvos. Embora a rede esteja carregada de peixes, haverá o momento da separação. Jesus deixa claro que esse momento ocorrerá no dia do juízo, quando os anjos separarão os ímpios dos justos.

A rede é lançada a todos: a rede traz todos os peixes misturados, de forma que os pescadores, no momento da pesca, não podem escolher quais peixes devem ser pescados. De forma semelhante, nós, os seguidores de Cristo, escolhidos para sermos pescadores de homens, não podemos selecionar a quem o Evangelho deve ser anunciado, ou seja, a pregação do Evangelho é dirigida a todos, sem qualquer discriminação. Esse princípio está diretamente ligado à outra parábola de Jesus, a Parábola das Bodas do Filho do Rei (Mt 22:1-14), onde os servos saem pelas ruas e reúnem todos os que encontram, tanto bons quanto maus. No final da parábola Jesus cita uma frase que também cabe muito bem ao contexto da Parábola da Rede: “Porque muitos são chamados, mas poucos os escolhidos”. A rede chama e carrega uma grande quantidade de peixes, mas na praia os escolhidos são selecionados.

Atenção aos ímpios: é comum quando se fala em “ímpio” logo vir em nossa mente a ideia de alguém nitidamente distante dos mandamentos de Deus, afundado no costume do pecado e praticando as mais diversas perversidades. Porém, o termo “ímpio” é muito mais abrangente, de forma que existem ímpios até mesmo dentro da Igreja. Às vezes olhamos para alguém e acreditamos fielmente estar ali um justo, mas na verdade estamos diante de um hipócrita. Muitas pessoas aparentemente fazem parte da Igreja mas na realidade, lá no intimo apenas confessam a Deus mais não vivem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here