amigo

Disse-lhes também: Qual de vós terá um amigo, e, se for procurá-lo à meia-noite, e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, pois que um amigo meu chegou a minha casa, vindo de caminho, e não tenho que apresentar-lhe;

Se ele, respondendo de dentro, disser: Não me importunes; já está a porta fechada, e os meus filhos estão comigo na cama; não posso levantar-me para tos dar;

Digo-vos que, ainda que não se levante a dar-lhos, por ser seu amigo, levantar-se-á, todavia, por causa da sua importunação, e lhe dará tudo o que houver mister. Lucas 11:5-8

Jesus trata deste tema “amar ao próximo”. Na sequência, entre os versículos 38 e 42, Jesus da ênfase na importância de se ouvir as palavras do Senhor. Já no capítulo 11, entre os versículos 1 e 13, Jesus ensina sobre a oração e como devemos orar. Creio que, entendendo essa sequência, podemos perceber claramente que amar ao próximo, ouvir as palavras do Senhor e orar corretamente, são coisas que evidentemente andam juntas.

Na parábola, Jesus fala sobre um viajante que chegou tarde da noite e bateu à porta de um amigo em busca de hospitalidade. Esse amigo, sem ter nada a lhe oferecer, ficou em uma situação embaraçosa, pois como poderia hospeda-lo sem ter um pão para alimentá-lo? Sem ter outra escolha, ele resolveu incomodar seu outro amigo que era seu vizinho, afim de que ele lhe emprestasse alguns pães.

O versículo 9 mostra três exortações e três promessas que vão aumentando de intensidade. Pedir subentende humildade, e um reconhecimento da necessidade. O “pedir” em nossas orações também tem importância, pois pressupõe confiança num Deus pessoal com quem podemos ter comunhão. Ao pedirmos, esperamos uma reposta, e isso implica fé no Deus que pode nos responder. Ter esse tipo de fé torna nossa oração fervorosa e pessoal. Diante da primeira exortação que é “pedir”, temos a primeira promessa de que seremos ouvidos.

Buscar é pedir mais agir, ou seja, é um pedido com ação. Isso significa que nossa petição deve ser sincera e acompanhada de atitudes diligentes que estão em harmonia com o que estamos pedindo. Por exemplo, se alguém ora a Deus pedindo que Ele lhe conceda mais sabedoria no entendimento da Bíblia, essa pessoa também deve constantemente examinar as Escrituras (Jo 5:39; At 17:11), frequentar a Escola Bíblica Dominical e os cultos (Hb 10:25) e o principal: viver de acordo com a vontade de Deus (Mt 7:21, 24, 25; Jo 7:17). Somos exortados a buscar, e consequentemente recebemos a promessa de que, ao buscar, encontraremos.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPerdão
Próximo artigoParábola do Fermento

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here