parábola do tesouro

Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pela grande alegria dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo. Mateus 13:44

Um homem cavando um buraco num campo, encontrou um tesouro que havia sido escondido ali. Essa era uma prática considerada comum naquela época, pois as casas não eram tão seguras contra invasões de ladrões, além de que, na antiga Palestina, sempre existia algum risco de um possível conflito estourar o que poderia ocasionar eventuais saques de bens. Portanto, os chefes de família muitas vezes enterravam uma parte, ou quase toda a totalidade de seus bens.

A parábola não esclarece quem enterrou o tesouro, nem mesmo por quanto tempo ele ficou enterrado no campo. O problema dessa prática é que muitas vezes o chefe de família não contava a ninguém onde havia enterrado o tesouro.

A parábola mostra também a honestidade daquele homem que, ao invés de fugir com o tesouro encontrado, o enterrou novamente a fim de adquirir legalmente o direito sobre ele ao comprar o campo. Para adquirir o campo, o homem precisou vender tudo o que tinha, mas ele não se importou com isso, pois a alegria em possuir o tesouro era muito maior. Pelo fato de o campo estar à venda, isso também nos leva a concluir que não havia sido o atual proprietário que enterrou tal tesouro.

Certamente o ensino principal da parábola consiste em que o tesouro escondido é o próprio Cristo e seu reino, inclusive a salvação, que nos proporciona o grande privilégio de assim sermos transformados definitivamente. A parábola não está ensinando que devemos comprar a salvação, ao contrário, o recurso utilizado por Jesus tem o objetivo de mostrar a tamanha preciosidade e seu valor incalculável na vida daquele que a encontra sem ao menos ter procurado por ela, a ponto de renunciar tudo o que possui apenas pelo prazer de desfrutar de sua posse.

Encontramos um tesouro incalculável: talvez quando os amigos daquele homem o viram vender tudo sem motivo aparente pensaram que ele estava cometendo um terrível erro, ou até mesmo, quem sabe, enlouquecendo. Esse é o comportamento de muitos que nos cercam ao não compreenderem o grande valor do tesouro que possuímos. Eles não entendem quando renunciamos as facilidades dessa vida, a possibilidade de nos dar bem a qualquer custo, ou mesmo quando deixamos passar oportunidades “imperdíveis” por amor ao Reino de Deus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here