grão de mostarda

Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao grão de mostarda que o homem, pegando nele, semeou no seu campo; O qual é, realmente, a menor de todas as sementes; mas, crescendo, é a maior das plantas, e faz-se uma árvore, de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos. Mateus 13:31,32

Ao contar está Parábola Jesus está falando a respeito do Crescimento do reino dos céus, essa planta se torna tão imponente que até mesmo as aves do céu se aninham em seus ramos. Principalmente no outono, quando os ramos estão mais consistentes, várias espécies de aves preferem a planta da mostarda para fazerem seus ninhos, pois, além de se protegerem das tempestades ou do calor do sol, elas encontram alimento nas pequenas sementes presentes nas vagens.

O que Jesus estava ensinando é que, da mesma forma com que o pequeno grão de mostarda aparentemente nunca atingirá tamanha robustez, o reino dos céus na terra, ainda que muitas vezes, principalmente em seu início, parecesse insignificante, ele certamente produziria grandes resultados.

Jesus fala de um homem que semeia em sua lavoura a semente de mostarda. Essa era uma situação comum e corriqueira naquela época. Dentre todas as sementes semeadas numa horta, a semente de mostarda era, geralmente, a menor de todas, porém, em seu estágio adulto, ela se tornava a maior das plantas da horta, atingindo o tamanho de uma árvore, com no mínimo três metros de altura, podendo alcançar até cinco metros. Essa planta se torna tão imponente que até mesmo as aves do céu se aninham em seus ramos. Principalmente no outono, quando os ramos estão mais consistentes, várias espécies de aves preferem a planta da mostarda para fazerem seus ninhos, pois, além de se protegerem das tempestades ou do calor do sol.

O ensino principal dessa parábola é descrever o começo humilde e pequeno do reino dos céus na terra, e mostrar que seu impacto grandioso estava garantido, tão certo quanto o crescimento da pequena semente de mostarda ao ser plantada. Isso faz todo sentido quando analisamos o ministério de Jesus e o início da pregação do Evangelho por seus discípulos.

Grandes resultados começam com pequenas iniciativas: muitas vezes pensamos em não fazer algo na obra de Deus por acreditar que aquilo não terá grande importância. Nessas horas devemos nos lembrar de que as maiores árvores crescem a partir de pequenas sementes.

A planta crescerá: às vezes, diante das dificuldades que nos confrontam, nossas ações parecem insignificantes. O evangelismo parece que não está dando resultado, a Escola Bíblica parece que não está sendo eficiente, o plantio da nova congregação parece que não irá para frente. Porém, a promessa feita é que a planta continuará crescendo, mesmo que nossos olhos não percebam. Por mais que somos bem-aventurados em participar e trabalhar na expansão do reino, o crescimento, de fato, quem dá é o próprio Deus (Mc 4:26-29).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here