Servo e seu Dever

Qual de vocês que, tendo um servo que esteja arando ou cuidando das ovelhas, lhe dirá, quando ele chegar do campo: Venha agora e sente-se para comer?

Pelo contrário, não dirá: Prepare o meu jantar, apronte-se e sirva-me enquanto como e bebo; depois disso você pode comer e beber?

Será que ele agradecerá ao servo por ter feito o que lhe foi ordenado?

Assim também vocês, quando tiverem feito tudo o que lhes for ordenado, devem dizer: Somos servos inúteis; apenas cumprimos o nosso dever. Lucas 17:7-10

Havia um fazendeiro que possuía uma pequena fazenda. Isso fica claro que pelo fato de ele possuir somente um servo. É verdade que existe um debate entre os intérpretes se nessa passagem a palavra grega doulos deva ser traduzida como “escravo” ou “servo”, sendo o último no sentido de um trabalhador livre. Entretanto, essa discussão não é importante para o sentido principal do ensino de Jesus nessa parábola. De qualquer forma, a Parábola do Fazendeiro e o Servo mostra o relacionamento frio e impessoal tão comum no primeiro século entre patrão e empregado, ou, para quem preferir, dono e escravo.

Após o servo ter trabalhado no campo cuidando do gado e arando a terra, o fazendeiro ordena ao servo que lhe sirva, e, somente depois do fazendeiro ter se alimentado, o servo poderia se alimentar. Isso foi uma ordem, e o servo sabia que deveria cumprir simplesmente por ser esse o seu papel. Por ter realizado tais tarefas, o servo não deveria esperar nenhum tipo de elogio, pois fez nada mais do que o esperado dele.

O principal ensino dessa parábola está na frase de Jesus: “Quando tiverem feito tudo o que lhes for ordenado, devem dizer: Somos servos inúteis; apenas cumprimos o nosso dever” (vers. 10). Jesus, nessa parábola, está ensinando aos seus seguidores o que realmente significa ser servo. Nos versículos anteriores a Parábola do Fazendeiro e o Servo, vimos que as advertências foram feitas, as tarefas delegadas, as ordens dadas e as condições garantidas (através da fé). Não estamos fazendo um “favor” ao executar o que foi ordenado pelo Senhor, ao contrário, estamos fazendo apenas nossa obrigação como servos.

Qual é a mensagem desta parábola nossa verdadeira intenção: a intenção do nosso coração é fundamental no modo em que nos comprometemos com as tarefas que nos foram delegadas como cidadãos do reino de Deus. O ponto principal não está no “fazer”, mas no “como fazer”.

Não buscar recompensas: outra lição que Jesus constantemente ensinou durante seu ministério é que não devemos trabalhar no reino de Deus buscando recompensas. Nossa relação com Deus nunca foi e nunca será a de empregador e empregado. Aos nossos patrões, podemos reclamar nossos direitos, mas ninguém poderá, jamais, reivindicar de Deus os serviços prestados. Deus não é devedor a homem algum, e não devemos esperar recompensas por tarefas cumpridas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here